domingo, 6 de julho de 2014

Review At Any Turn #2 - Brenna Aubrey

Título: At Any Turn #2

Série: Gaming The System  

Autora: Brenna Aubrey

Avaliação: 1/5

Data de Publicação: 15 de Abril de 2014.
** O livro pode ser encontrado aqui.


Eu poderia dizer que estou chateada com esse livro, mas, sinceramente, a minha decepção já era esperada. Depois de ler o primeiro livro dessa série, At Any Price #1 (que eu gostei muito), era visível que a história não precisava de continuação. Já estava tudo fechadinho com chave de ouro. Mas, infelizmente, a autora quis continuar com a história e o resultado foi um grande desastre, um desgaste desnecessário, uma ofensa contra o que ela já tinha construído no livro anterior. A minha dica é: se você leu At Any Price, não leia as continuações, pois realmente não vale a pena. A trama do livro não faz sentido, além de ser drama após drama relatado de uma forma irritante e que só queima o filme dos personagens.

No livro anterior, Adam Drake era um personagem forte, seguro, calmo, confiante, que tinha controle sobre tudo. E era realmente interessante ver como Adam usava sua inteligência no cotidiano, como ele era capaz de tornar a vida num jogo de xadrez, prevendo o que as pessoas fariam antes mesmo das próprias pessoas saberem de suas ações e, aí, ele já ter uma reação formulada. Porém, em At Any Turn, Adam está completamente diferente. Ele está perdido. Ele está em pânico. E é tudo culpa de Mia Strong.

No livro anterior, eles terminam a história juntos, dispostos a lutar por um amor intenso. O que seria o final perfeito para a história, uma vez que nós já tínhamos aguentado Mia e toda a sua chatice/teimosia, até que ela se rende (finalmente). Pois bem, nesse livro, Mia é insuportavelmente teimosa³²³¹²³!!! Ela deu à palavra teimosia um novo significado. Além disso, ela era completamente imatura e irritante, estava brincando com os sentimentos de Adam, fazendo com que ele se visse culpado por coisas que ele não tinha a menor culpa. Pelo contrário, Adam agia como qualquer outro ser humano agiria na situação em que ele se encontrava. Mas Mia por ser teimosa não compreendia isso.

O que acontece inicialmente é que Mia quer estudar medicina em outra cidade, só que nem ela e nem Adam estão dispostos a ceder. Ela quer ir para a faculdade de seus sonhos e ele quer que ela estude em L.A. para ficar perto dele e de sua família. Só que ela dá a esse assunto uma dimensão fora do normal, deixando Adam de lado, enquanto ele sofria um processo judicial por causa de um garoto que era viciado em seu game. Ou seja, Mia o evitava e o deixava sozinho lidando com seus problemas, enquanto que Adam era o primeiro a deixar seus problemas de lado para lidar com os problemas de Mia.

Depois disso, Mia é só segredos, ela termina com Adam culpando-o totalmente, sendo que ele não fez nada a não ser se preocupar com ela. E ela também passa a evitar a sua mãe, escondendo dela (e de Adam) uma coisa que nenhuma filha esconderia de sua mãe. E é isso. O livro todo ela é teimosa e irritante, não conversa com Adam quando ele quer saber por que ela esta agindo como está, e ela o culpa por tudo, alegando que ele quer controlá-la.  

Eu já estava cansada de Adam correr atrás de Mia para tentar reatar o relacionamento deles. Ele totalmente merecia coisa muito melhor que uma garota imatura e insegura que se acha independente quando na realidade ela está totalmente perdida. Teve um momento em que eu queria que os papéis se trocassem e que Mia fosse a que rastejasse para que ele voltasse com ela. Estava na hora dela dar valor a ele e começar a lutar por ele. E isso não acontece. Como sempre, Adam continua correndo atrás dela e quando ele finalmente desiste, ela precisa dele e ele está lá por ela. E, no final, não é nem Mia quem tem a decência de contar seu segredo a Adam.

Para mim, esse livro é lastimável. A única coisa que eu gostei foram as referências ao livro “A Arte da Guerra”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário